Tom Brady diz que “não sofre queimaduras de Sol porque bebe muita água”.

 

 

Recém chegado as livrarias, o livro publicado por Tom Brady – mais conhecido no Brasil como o marido de Gisele Bundchen – já é um best-seller.

Dentre os inúmeros conselhos dados pelo esportista norte-americano um deles se destaca: Brady escreve que “mesmo que se exponha ao sol ele não tem queimaduras solares pois toma uma quantidade grande de água diariamente”

Será que esta afirmação tem respaldo da ciência? Drops checou.

 

Contexto

Tom Brady é um dos maiores jogadores de futebol Americano e atua como quarterback pelo New England Patriots na National Football League (NFL). Além de ser um grande jogador, Brady é uma grande celebridade nos EUA.

Publicado em 2017 com o título em português de “O método de TB12: Como alcançar a longevidade sustentando uma performance de alto nível”, a obra de Brady fala sobre nutrição, longevidade e alta performance.

 

 A afirmação

Dentre as mais de 300 páginas do livro, uma passagem em especial chamou a atenção da mídia e até mesmo da comunidade científica.

“Quando eu estava crescendo, e brincando fora no sol, eu me queimava no Sol muito. Afinal, eu era um irlandês de pele clara. Hoje em dia, mesmo que obtenha uma quantidade suficiente de sol, não vou ter queimaduras solares, o que eu credito à quantidade de água que eu bebo. Eu sempre me hidrato depois também, para evitar que a minha pele descasque.”  O que diz a ciência

 

O que diz a ciência

Drops investigou junto às maiores referencias em saúde com o objetivo de confirmar se a afirmação de Tom Brady encontra respaldo em evidências científicas e poderia assim servir de “conselho” pra seus leitores.

Segundo o Center for Deseases Control and Prevention (CDC), os raios ultra-violetas (UV) podem danificar a pele com apenas 15 minutos de exposição e as únicas maneiras eficazes de reduzir o risco de danos e câncer de pele são: permanecer na sombra, usar protetor solar ou usar roupas protetoras mesmo ao permanecer na sombra.

Academia Americana de Dermatologia (AAD) é ainda mais direta quando fala sobre a proteção contra raios UV, dizendo que mesmo em dias nublados é recomendado o uso de protetores solares com fator mínimo de 30. Alem disso, a AAD sugere o uso de roupas e acessórios protetores e a não exposição ao Sol no período entre 10 da manhã e 2 da tarde.

A Sociedade Brasileira de Dermatologia tem recomendações semelhantes à Academia Americana de Dermatologia, porém acrescenta como medida de proteção a reaplicação de filtros solares.

Por fim a Organização Mundial de Saúde (OMS) considera como medidas eficazes de proteção ao Sol a exposição limitada aos raios UV e em horários adequados, o uso de protetores solares e roupas de proteção, a permanência na sombra e o não uso de máquinas de bronzeamento artificial.

 

Ou seja, em comum Drops encontrou que todas estas entidades não mencionam qualquer relação entre o consumo de água e a proteção aos danos causados pelo Sol, o que mostra que a afirmação de Brady não tem base científica.

 

COMPARTILHEShare on Facebook0Tweet about this on Twitter0Share on Google+0Pin on Pinterest0Email this to someone

COMENTÁRIOS

POSTS RELACIONADOS

    Um clássico dos anos 50, Moscow Mule – o drinque da canequinha – foi tendência no último verão brasileiro e, ao que tudo ...

No último dia 18, um artigo do American Council on Science and Health mostrou como o time de marketing da Gatorade errou feio ao usar ...

O brasileiro consumiu em 2016 uma média 70 litros de refrigerante per capita. Há alguns meses atrás uma manchete do portal UOL acendeu ...

Uma bebida “mágica”, que pode curar quase tudo, desde problemas de digestão até artrite e câncer. Isto é o que muitos sites e blogs ...

Fale com o especialista

Envie a sua dúvida.
Ela será respondida por
um de nossos profissionais.