A ingestão de vitamina C não previne gripes e resfriados?

E a cena se repete a cada outono: balcões de farmácias tomados de embalagens na cor laranja. Há décadas as pessoas consomem suplementos de vitamina C na expectativa de prevenir-se de gripes e resfriados. Mas será que existem evidências científicas que demonstram que isso realmente funciona?


 

QUEM DISSE? Tribuna do Ceará

O QUE DISSE? Ingestão de Vitamina C não previne gripes e resfriados, revela pesquisa.[1]

QUANDO DISSE? 18/06/2017

CHECAGEM: VERDADEIRO

O artigo do jornal A Tribuna do Ceará está correto ao dizer que uma pesquisa afirmou que o consumo de vitamina C não previne gripes e resfriados. Ainda, a pesquisa mencionada pela reportagem trata-se de uma metanálise, na qual 29 estudos sobre o tema foram avaliados e analisados estatisticamente.

 

CONTEXTO

Segundo dados do IQWIG (Institute for Quality and Efficiency in Health Care),[2] em média uma criança fica resfriada de 6 a 10 vezes por ano. Já um adulto de 2 a 4 vezes. Neste contexto, um remédio de baixo custo e fácil acesso que seja capaz de evitar estas doenças seria mesmo muito bem-vindo.

Sabe-se que desde os anos 30 o ácido ascórbico, popularmente conhecido como vitamina C, é usado no tratamento de doenças respiratórias. Mas a popularidade de seu uso aconteceu somente nos anos 70 com a publicação de um livro chamado “A vitamina C, o resfriado comum e a gripe”, escrito pelo ganhador do Nobel de Química de 1954, o americano Linus Paulling. Desde então muita gente repete que a vitamina C é a melhor opção para prevenir gripes e resfriados.

Mas será que a ingestão de Vitamina C previne mesmo gripes e resfriados? A DROPS checou.

 

O QUE DIZ A CIÊNCIA:

Ao citar uma pesquisa que afirma  que “a ingestão de vitamina C não previne gripes e resfriados” a reportagem da Tribuna do Ceará faz referência a um trabalho publicado em 2013 pelo projeto Cochrane (rede global independente de pesquisadores e profissionais da saúde).[3]

Em 31  de janeiro de 2013,  o Cochrane publicou em sua biblioteca virtual uma revisão de 29 estudos[4] que avaliavam a eficácia da vitamina C na redução da incidência, duração e gravidade de gripes e resfriados.

Antes de falarmos sobre as conclusões deste trabalho cabe explicar o que exatamente é este tipo de revisão de estudos. Uma revisão sistemática de estudos” ou “metanálise” são trabalhos que tem por objetivo reunir estudos semelhantes, publicados ou não, avaliando-os criticamente em sua metodologia e reunindo-os numa análise estatística. Por sintetizar estudos semelhantes de boa qualidade, a metanálise é considerada o mais alto nível de evidência a que se pode chegar.[5]

A metanálise feita pelo Cochrane tinha como objetivo avaliar se a vitamina C reduz a incidência, a duração ou a gravidade do resfriado comum, quando utilizada como suplementação diária e contínua (prevenção) ou terapia após o início dos sintomas do resfriado (tratamento). Foram levados em consideração apenas aqueles estudos que realizaram testes com a ingestão diária de no mínimo 0,2g da vitamina e que tiveram grupos controle tratados com placebo. Dois autores independentes foram responsáveis por analisar os dados que revisaram as informações de 11.306 participantes.

Ao final desta revisão a conclusão dos autores foi que na prática a administração da vitamina C não teve nenhum efeito consistente sobre a incidência de gripes e resfriados na população em geral. Em circunstâncias especiais, em que as pessoas estão envolvidas em esforços físicos extremos ou expostas a estresses significativos, ou ambas, a suplementação de vitamina C parece ter um efeito benéfico, mas não se deve generalizar este achado. Vale mencionar que os autores também afirmam que apesar de a ingestão de vitamina C ter contribuído na redução da duração do ciclo de gripes e resfriados de parte dos pacientes estudados, a relevância prática deste achado não é clara e não justifica a suplementação a longo prazo da vitamina.  Após a leitura criteriosa do estudo citado pela reportagem do jornal Tribuna do Ceará, e por suas evidências mostradas acima, a DROPS classifica a afirmação ingestão de Vitamina C não previne gripes e resfriados, revela pesquisa” como VERDADEIRA.

 

 

 

Referências:
[1]http://tribunadoceara.uol.com.br/vida-saudavel/vida-saudavel/ingestao-de-vitamina-c-nao-previne-gripes-e-resfriados-revela-pesquisa/ – Acesso em 17/5/18
[2] https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmedhealth/PMH0072727/ – Acesso em 17/5/18
[3] http://www.cochrane.org/ – Acesso em 17/5/18
[4] http://cochranelibrary-wiley.com/doi/10.1002/14651858.CD000980.pub4/full – Acesso em 17/5/18
[5] http://brazil.cochrane.org/como-fazer-uma-revis%C3%A3o-sistem%C3%A1tica-cochrane – Acesso em 17/5/18
https://www.mayoclinic.org/drugs-supplements-vitamin-c/art-20363932 – Acesso em 17/5/18
https://wwwnc.cdc.gov/travel/yellowbook/2018/the-pre-travel-consultation/discussing-complementary-and-integrative-health-approaches-with-travelers – Acesso em 17/5/18

 

 

COMPARTILHEShare on Facebook140Tweet about this on Twitter0Share on Google+0Pin on Pinterest0Email this to someone

COMENTÁRIOS

POSTS RELACIONADOS

Potes plásticos usados para guardar alimentos, mamadeiras, copos infantis, garrafões de água mineral, alimentos enlatados são algumas ...

Muito utilizado na agricultura, o glifosato ganhou projeção mundial não só pelo seu uso na agricultura, mas também pelas controvérsias ...

Nos últimos 10 anos o Brasil registrou um aumento de mais de 60% no número diabéticos[i] que já somam mais de 13 milhões de pessoas no ...

Esta semana o Ministério da Saúde brasileiro anunciou a incorporação de 10 novos procedimentos de saúde complementar oferecidos pelo ...

Fale com o especialista

Envie a sua dúvida.
Ela será respondida por
um de nossos profissionais.