Alguns protetores solares podem aumentar o risco de câncer de pele?

Com o calor do verão, cresce a preocupação com a exposição aos raios solares. Seja na praia ou na piscina, somos sempre lembrados de fugir do sol nas horas mais quentes do dia, cobrir o corpo e passar muito protetor solar.

Entretanto, será que os filtros solares são totalmente seguros? Uma reportagem da Revista Galileu sugere que o palmitato de retinila, um componente frequentemente encontrado nos protetores, pode aumentar a chance de câncer de pele ao invés de prevenir a doença.

Será que é verdade? A Drops conferiu.

Afirmação: Alguns protetores solares podem acelerar o câncer.

Checagem: INSUSTENTÁVEL


Contexto:

A vitamina A é um nutriente essencial para a saúde humana. Já o palmitato de retinila é uma forma de armazenamento da vitamina A que ocorre naturalmente na pele e que é muitas vezes adicionada em pequenas quantidades ems cosméticos e filtros solares para auxiliar na prevenção do envelhecimento precoce da pele. No Brasil o uso do palmitato de retinila nos filtros solares é regulado pela Anvisa e está aprovado em concentrações adequadas.  O mesmo ocorre nos Estados Unidos e na Europa.

Em 2010, a ONG norte-americana Environmental Working Group (EWG) publicou um relatório questionando a segurança do uso do palmitato de retinila em formulações de protetores solares.  Este documento dizia que “esta forma da vitamina A poderia aumentar o risco de desenvolver câncer de pele”. Desde então, essa informação tem se propagado em outros meios, como por exemplo aqui e aqui.

Será então que usar protetores solares com palmitato de retinila é mesmo seguro?

 

O que diz a ciência:

Segundo uma análise publicada na revista da Academia Americana de Dermatologia,  a controvérsia começou com alguns estudos que indicaram que o composto poderia gerar radicais livres quando exposto aos raios UV. Por sua vez, a formação de radicais livres poderia danificar o DNA das células da pele, aumentando o risco de mutações que podem causar câncer.

A divulgação destes dados fez com que a agência americana FDA (Food and Drug Administration), através de Programa Nacional de Toxicologia, conduzisse estudos sobre o assunto. Apesar de alguns dados que associam o palmitato de retinila ao câncer, esta pesquisa não encontrou uma relação direta de causa e feito entre o uso dos cremes com e o câncer de pele. O fato é: nenhum estudo mostra que o ingrediente pode aumentar o risco de câncer de pele em humanos.

Além disso, uma forma de Vitamina A similar ao palmitato de retinila, os retinóis têm sido usados por décadas para prevenir câncer de pele em pessoas com alto risco de desenvolver a doença, segundo a Academia Americana de Dermatologia.

Checagem: O uso de protetor solar é considerado seguro e é fortemente recomendado pelas principais sociedades de dermatologia no Brasil e do mundo. A Drops constatou que não existem evidências científicas confiáveis de que de protetores solares com palmitato de retinila aumentem a chance de desenvolver câncer de pele.

 

COMPARTILHEShare on Facebook0Tweet about this on Twitter0Share on Google+0Pin on Pinterest0Email this to someone

COMENTÁRIOS

POSTS RELACIONADOS

Muito utilizado na agricultura, o glifosato ganhou projeção mundial não só pelo seu uso na agricultura, mas também pelas controvérsias ...

Checagem completa de todas as notícias que você já leu sobre as vacinas do seu filho. ♥ ♥ ♥ CHECAGEM #1: Vacinas possuem aditivos ...

Notícias recentes afirmaram que os benzodiazepínicos “matam mais que cocaína e heroína”. Será? Drops conferiu!  Diazepam, alprazolam e ...

A melatonina, também conhecida como o hormônio do sono, ganhou popularidade mundial por ser uma suposta “alternativa natural” para ...

Fale com o especialista

Envie a sua dúvida.
Ela será respondida por
um de nossos profissionais.