Droga usada para controlar ansiedade e insônia mata mais que cocaína e heroína

Notícias recentes afirmaram que os benzodiazepínicos “matam mais que cocaína e heroína”. Será? Drops conferiu! 


Diazepam, alprazolam e clonazepam Estão entre os medicamentos psiquiátricos mais comumente prescritos no mundo. Esses medicamentos são parte de uma classe de ansiolíticos chamada de benzodiazepínicos (BDZs).

Os BDZs atuam como calmantes e são utilizadas para tratar distúrbios de ansiedade e insônia. Geralmente são prescritas para uso a curto prazo, já que o uso prolongado pode causar dependência química.

Diversos artigos, como por exemplo um publicado no portal Saúde iG, afirmaram que os benzodiazepínicos “matam mais que cocaína e heroína”.

Será? A Drops conferiu!

 

QUEM DISSE? Saúde iG, Radio Globo, Exame, entre outros.

O QUE DISSE?  “Droga usada para controlar ansiedade e insônia mata mais que cocaína e heroína”1

QUANDO DISSE? 26/07/2017

CHECAGEM: FALSO

As matérias publicadas erram ao deixar de mencionar que o estudo reportado avaliou mortes causadas por BDZs em uma população específica de usuários de drogas injetáveis. Desta forma, os resultados desta pesquisa não podem ser estendidos para a população em geral e é FALSO dizer que estes medicamentos matam mais que cocaína e heroína.

CONTEXTO:

Medicamentos benzodiazepínicos (BDZs) agem no cérebro, reduzindo os sintomas de ansiedade, como aqueles produzidos por ataques de pânico, sentimentos extremos de medo e preocupação ou insônia2. Os BDZs também são usadas na prática médica como relaxantes musculares, para induzir a sedação em cirurgias e outros procedimentos, e no tratamento de convulsões e crises de abstinência de álcool. Exemplos de BDZs incluem drogas como diazepam (Valium),  alprazolam (Xanax), e clonazepam (Rivotril), entre outras3.

Os BDZs comprovadamente possuem potencial de causar dependência química. Além disso, o uso prolongado de BDZs pode tornar o indivíduo tolerante ao medicamento, fazendo com que o usuário precise de doses cada vez mais altas para obter o mesmo efeito. Por isso, esses medicamentos são normalmente recomendados apenas para uso ocasional ou a curto-prazo, sendo considerados seguros e eficientes neste contexto,4,  uma vez que o  uso inadequado dessas drogas pode resultar em overdose e até morte5.

A confusão em torno da comparação do “número de mortes causadas pelos BDZ e daquelas causadas por drogas como heroína e cocaína começou logo após a publicação em 2016 de um estudo canadense intitulado “O impacto do uso de benzodiazepínicos na mortalidade entre os usuários de polissubstância em Vancouver, Canadá”.

 

O QUE DIZ A CIÊNCIA:

A leitura completa, criteriosa e atenta de todo o estudo citado nas reportagens revela que o mesmo teve como objetivo identificar o efeito do uso de BDZs na mortalidade de um grupo de pessoas no Canadá que eram usuários de drogas injetáveis6. Entretanto, os veículos não mencionam essa característica, e erroneamente estendem os resultados dessa pesquisa para a população em geral.

O que os autores do estudo encontraram foi que, em usuários de múltiplas drogas, o consumo de BDZs foi mais consistentemente associado com a mortalidade, entre todos os fatores avaliados6. Já se sabe que a interação de BDZs com opióides é perigosa e aumenta o risco de overdose. Nos EUA, mais de 30% das overdoses envolvendo esta casse de drogas também envolvem BDZs3.

Porém, isso não quer dizer que um paciente com uma prescrição médica adequada de remédio a base de benzodiazepina tem um maior risco de morte do que um usuário de heroína, como ficou implícito nas matérias citadas.

Em 2015 nos EUA, foram reportados 8791 casos de overdose envolvendo BDZs. Desses, 85% envolveram o consumo concomitante de opióides.  Apenas 1306 casos foram overdoses de BDZs sem associação com opióides. Esse número é inferior às mortes por overdose de heroína (12989) e cocaína (6784 mortes)7.

Os opióides, incluindo tanto os medicamentos legais como as drogas ilícitas, ainda são responsáveis pela maior parcela (63%) do total de mortes por overdose nos EUA7.

Ao checar as matérias do iG Saúde, Radio Globo e Exame, a Drops não encontrou evidências que comprovem que o uso de medicamentos BDZz causa um número maior de mortes do que aquelas ocasionadas pelo consume de drogas como heroína e cocaína. Sendo assim, é FALSO dizer que ““Droga usada para controlar ansiedade e insônia mata mais que cocaína e heroína”1”.

 

 

 

REFERÊNCIAS:
1 http://saude.ig.com.br/2017-07-26/ansiedade-droga-mata.html
2 https://www.nimh.nih.gov/health/topics/mental-health-medications/index.shtml
3 https://www.drugabuse.gov/drugs-abuse/opioids/benzodiazepines-opioids
4http://www.camh.ca/en/hospital/health_information/a_z_mental_health_and_addiction_information/Benzodiazepines/Pages/default.aspx
5https://www.canada.ca/en/health-canada/services/substance-abuse/prescription-drug-abuse/benzodiazepines.html
6 https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/27252569
7https://www.drugabuse.gov/sites/default/files/overdose_data_1999-2015.xls

 

 

COMPARTILHEShare on Facebook28Tweet about this on Twitter0Share on Google+0Pin on Pinterest0Email this to someone

COMENTÁRIOS

POSTS RELACIONADOS

Há algum tempo as substâncias classificadas como desreguladores endócrinos (ou hormonais) estão no holofote da ciência. Com a ...

Até outro dia a opinião pública dizia que uma taça de vinho tinto por dia era um hábito saudável. Mas parece que desde a publicação ...

O medicamento nimesulida é um anti-inflamatório amplamente vendido no Brasil e é conhecido pela sua eficácia em casos de dores intensas ...

O debate sobre o uso de agrotóxicos no Brasil se aqueceu com um projeto de lei colocado em votação no último mês. Nesse mês, a DROPS ...

Fale com o especialista

Envie a sua dúvida.
Ela será respondida por
um de nossos profissionais.